Agora o Blues com Z é 100% Blues Brasil.
Essa é nossa mais nova iniciativa para divulgar e incentivar o gênero no país.
De Norte a Sul do Brasil o Blues é praticado e estamos abrindo espaço para todo brasuca que queira expressar seu feeling Blues.
Continuamos com os bate-papos. Toda semana um nome ou uma banda nacional para nos contar como é fazer Blues por aqui.
"....O velho Blues não tem formato, nem receira, nem religião,a cor da pele não se mete nisso..."




Seja bem-vindo, o blues vai rolar! E como dizia o mestre Muddy Waters, "pedras que rolam não criam limo".

19 de fevereiro de 2008

BAIRRISMO=IGNORÂNCIA


Fazia tempo que não ouvia o termo "bairrismo" ser citado, apesar de vivermos ao lado dele, né.
Foi numa troca de idéias que um amigo disse: " o Blues com Z esta quebrando barreiras e bairrismos a cada edição". Foi aí que resolvi expor um pouco este assunto nefasto.
No Wikipedia (enciclopédia livre do Google) o conceito de bairrismo é explicado:

Bairrismo é a defesa exacerbada das alegadas virtudes de um bairro, ou, por analogia, da terra natal de alguém. O termo quase sempre possui uma conotação negativa, pois ao bairrismo está vinculada uma visão estreita de mundo que menospreza tudo aquilo que vem de fora.
No Brasil, o fenômeno é identificado desde meados do século XIX, envolvendo políticos que pretendiam se alçar a condição de estadistas, elevando-se acima dos meros interesses regionais.[1]
Em Portugal, Vasco Graça Moura já comparou o sentimento de bairrismo a um complexo de inferioridade.[2]

Pois bem.
O Blues hoje é um gênero músical reconhecidamente universal e que influenciou toda a base da música contemporânea.
A idéia corporativista de muitos (que já mataram o blues) vem de encontro com o termo que estamos falando. E mesmo dentro do segmento bluesy nos esbarramos com essas idéias, isto é: muitos bluseiros ortodoxos por aí não aceitam as fusões de ritmos e culturas diferentes no Blues e pregam idéias contrárias, aos Blues autorais em português, por exemplo.
Como é bem definido acima, o conceito de bairrismo nos remete a outro termo, ignorância.
Não teria sentido para nós enveredarmos na mesmice e divulgarmos apenas nossos mais chegados, tão somente nossas preferências. Sabemos que existem inúmeros músicos telentosos nos quatro cantos do país e outros tantos pelo mundo que não são conhecidos e muitas vezes ignorados, até mesmo em nosso meio. Nossa intenção é sim (como disse uma outra amiga) congregar todos aqueles que apreciam este gênero em todas os cantos possíveis e através do Blues com Z, e de outros programas de Blues, abrir caminho para mostrarem seu valor.
Bairrismo = Ignorância!

2 comentários:

Claudio Ribeiro disse...

Quer exemplo maior de quebra de bairrismo que a musica "balada de Robert Johnson" cantada por um repentista nordestino e totalmente bluesy ?

Blues é alma é alma não tem nação, estilo, cor, sexo...blues é multifacetado ! A propria concepção do blues (de Chicago, do Mississipi, do Texas, do norte, do sul do leste do oeste de todo lugar) mostra a versatilidade desse ritmo quente e envolvente.
Uns preferem o blues de viola, outros o blues de gaita, outros o eletrico...
O importante é que o blues está (re)nascendo e abrindo espaços...

Zanata disse...

Caramba!!!
TÁ DITO!!
PONTO!
Abração mano Claudio!!