Agora o Blues com Z é 100% Blues Brasil.
Essa é nossa mais nova iniciativa para divulgar e incentivar o gênero no país.
De Norte a Sul do Brasil o Blues é praticado e estamos abrindo espaço para todo brasuca que queira expressar seu feeling Blues.
Continuamos com os bate-papos. Toda semana um nome ou uma banda nacional para nos contar como é fazer Blues por aqui.
"....O velho Blues não tem formato, nem receira, nem religião,a cor da pele não se mete nisso..."




Seja bem-vindo, o blues vai rolar! E como dizia o mestre Muddy Waters, "pedras que rolam não criam limo".

3 de novembro de 2007

O QUE VOCÊS PENSAM A RESPEITO DISSO? II

Há uma semana atrás (27/10), publicamos aqui no blog um post com esta pergunta:O QUE VOCÊS PENSAM A RESPEITO DISSO? Tivemos vários bons comentários, um bom sinal, isso mostra que tem gente interessada em discutir a realidade do Blues feito no Brasil, entre outras coisas. O curioso nisso fica por conta da baixa participação, isto é, o blog está com uma média de 50 visitas/dia e, pelo que parece, poucos afim de discutir. Falta de interesse ????? Por isso, voltamos a fazer a mesma pergunta, O QUE VOCÊS PENSAM A RESPEITO DISSO? II.
Sua participação é muito importante para manter viva a chama do Blues!
Aproveitamos e publicamos trechos de alguns dos comentários.

....LEMBRAR DO PRIMEIRO SHOW DO STEVIE RAY EM MONTREUX QUE A VAIA DE GRANDE PARTE DO PÚBLICO NÃO O FEZ MUDAR O SEU RUMO.
JUSTO POR QUE ELE ERA NOVIDADE , E "OUSADO" POR TOCAR DO JEITO DELE CLÁSSICOS E COISAS DELE ....COM O VISUAL DELE !! ...Zanata, Niteroi RJ

Acho que partindo para um público que não se prende a rótulos , o blues e suas vertentes (soul, funk, etc...)pode criar fãs mais jovens e sempre necessitados de novidade. E para a maioria, o blues é novidade, mas não chega até eles....Marcus, São Paulo SP

.....sempre haverá público interessado em um material de qualidade, hj em dia temos uma liberdade maior para expressar e conhecer, mto mais recursos...Giovana, São Paulo.

O melhor seria que os profissionais do blues realmente não ficassem parados quanto a questão de divulgação do blues e a consequente renovação do público...Suellen, Fortaleza CE

Tenho alguns amigos que "gostam", "curtem", "adoram" blues!Mas se peço que cite alguém do blues, vem o velho chavão : Clapton, BBKing, Janis ! Geralmente nessa ordem...Claudio, São Paulo SP

10 comentários:

Zanata disse...

Bom dia irmão Edu, o MAGO DA CULTURA BLUES!!
Bem providencial a idéia de dar sequencia no Blog, ao tema sobre o cenário do Blues no Brasil...
REFORÇAR , MANTER VIVO E PRESENTE A IDÉIA, POIS SE NÃO TEMOS A PLURALIDADE DE APOIO DE MIDIA , AS VEZES, SE ATER A UM TEMA É O MELHOR CAMINHO NÉ?

Isso me faz lembrar que um desses caras que acham (e na verdade é mesmo) mais fácil criticar do que construir junto...uma dessas figuras comentou por exemplo que um tal musico estava sendo repetido por mim nas edições do Niteroi de Alma Blues Festival...como se fosse uma especia de "OVERDOSE DE EXPOSIÇÃO"...rsss
Aí lembrei a ele, que um festival que acontece 1 vez por ano ...1 unico show por artista e que o genero musical do qual este artista se encaixa, é uma musica excluída da grande mídia. ENTÃO, como poderia se tratar de uma "overdose de exposição"?
Resultado, a medida em que o musico ia aparecendo a cada ano no evento , ele ia sim, ganhando mais admiradores e vendendo mais seus cds nos shows.
E muita gente dizia que só passou a saber da existencia do festival na cidade, na medida em que alguns poucos veículos de divulgação iam dando um espaço um pouco maior e Ee principalmente CONSTANTE a cada nova edição.
No atual contexto, BLUES, NUNCA É DEMAIS!
Abração Bluesman Soliani!

Zanata disse...

E dentro deste mesmo ponto,ou seja, do quanto maior a divulgação, nunca é demais, e melhor é para o Blues, cito o próprio Niterói de Alma Blues Festival, que somente agora, em sua 4º edição, é que está conseguindo um apoio que irá permitir o pagamento de cachês aos músicos.
O que vale ressaltar aí , é que os tais "músicos repetidos" , foram justamente aqueles que apostaram comigo no projeto. Toparam arriscar o ganho da bilheteria por 3 anos e por isso, seria no mínimo uma grande sacanagem se agora na hora melhor, eles estivessem excluídos do projeto.

david santos disse...

Força! Não desistir! Parabéns.

Edu Soliani disse...

Obrigado, David. Estamos juntos na mesma luta...Só Verdades.

Chico disse...

Eu sempre pensei em como o blues é pouco divulgado, mas há um tempo cheguei à conclusão de que o blues não precisa da mídia, porque o sentimento do blues é de tristeza, abandono, injustiça, necessidade... ao momento que o seu blues se torna moeda, talvez você mesmo se torna menos verdadeiro. Mesmo se você ganha pouco, ou se apresenta pouco, você deseja com isso ganhar dinheiro e exposição e fãs e status. Dinheiro e status são o oposto do blues.

Os grandes nomes do blues clássico (B.B. King, Muddy Waters, SRV, Hendrix, Buddy Guy, Clapton) são celebrados pela maneira única de sua interpretação e são casos atípicos, pois suas emoções foram transformadas em espetáculo, para deleite do público. Por isso é tão difícil encontrar um artista que valha a pena hoje, pois estes trabalham o espetáculo, mas talvez nunca experimentaram o blues, daqueles de Robert Johnson, Skip James, os cegos Lemon Jefferson, Mc Tell, Willie Johnson e milhares de outros que nunca ganharam um centavo. Como podemos ser inspirados por esses tão pouco conhecidos e esperar obter status, reconhecimento e fortuna?

Eu penso que a falta de divulgação e de reconhecimento do blues atual se deve ao pouco número de blueseiros. Tem que comer muita merda, suar muito sangue... não é sobre estudar pra caralho um instrumento ou encaixar umas rimas...

No meu caso, que também tenho uma banda, que também não consigo reconhecimento e status e ainda mais, preciso trabalhar 40 horas por semana em outra atividade para financiar o meu projeto, eu tento expressar como me dói essa vida de não conseguir viver como eu quero. Mas a partir do momento que eu digo isso, torna-se marketing, e você não quer que as pessoas chamem de marketing o que você tem de mais profundo e precioso.

Eu corro atrás de show, mando material para as pessoas conhecerem, tento me comunicar com as pessoas que admiro, mas eu tenho expectativa zero de retorno, assim, eu não me frustro nem deposito esperanças, e meu blues fica mais livre e honesto quando estou tocando num bar vazio, ou para pessoas que não se ligam nas letras, ou mesmo sozinho num hotel vagabundo de alguma cidade do interior. É quando me sinto mais perto de Sonnyboy Williamson ou Son House.

Edu Soliani disse...

Seja bem-vindo, Chico. Muito bom seu comentário, apesar de discordar de sua opinião. Procure conhecer a letra de "Araribóia Blues" (postado aqui no blog) e muitos outros Blues que não só se apegam à tristeza (como de fato se originou).Nossa proposta não é fazê-lo comercial e sim, não deixá-lo cair no limo (como já aconteceu no final dos anos 50 e depois nos 70. Enfim, a grande mídia não divulga por falta de conhecimento e é justamente isso que tentamos fazer (honestamente), mostrar que o Blues está bem vivo no mundo inteiro e continua influenciando muitos estilos por ai(sem ser reconhecido).
Abraço e obrigado pela participação!!!!!! Ahhh..hoje tem Blues com Z. Não perca!

Zanata disse...

Olá...Chico, meu Caro Edu...

Olha, meu caro Chico, não vejo o porque nomes como B.B. King, Muddy Waters, SRV, Hendrix, Buddy Guy e Clapton NÃO SE REBELARAM então contra a manipulação que fizeram de suas emoções.
O próprio Muddy Waters, pelo o que sei sempre deixou muito claro a sua GRATIDÃO por exemplo, com o Robert Cray, por este te-lo convidado para turnês juntos e com isso ajudar em muito financeiramente o velho Muddy, que passou a chamar Cray então, de "FILHO".Já que a mídia havia esquecido mestre Waters, ele poderia ter aproveitando então e se negado a nova exposição não acha?
Não imagino Sun House, se negando a ter por exemplo condições de obter um tratamento dentário por não concordar em ganhar dinheiro com sua música.
Estes bluesmen devido ao contexto social dos Estados Unidos no começo do século XX, poderiam até se considerar "privilegiados" por não serem escravos como seus pais e avós, mas não acredito que se lhes fossem dada a oportunidade de melhorar de vida ...não creio que eles rejeitassem tal possibilidade.
NÃO VEJO PROBLEMA ALGUM EM PODER COMPRAR UMA FENDER, GIBSON, UM PEAVY OU UM BLUES JR. VALVULADO COM DINHEIRO ORIUNDO DO TRABALHO COMO MÚSICO DE BLUES.
INFELIZMENTE muito do que tenho foi mesmo como educador e ralando por pelo menos uns 18 anos em colégios públicos e particulares aqui no Rio de Janeiro.
E "LAMENTO" não existe só um tipo...um modelo né?
Qualquer pessoa de qualquer classe social tem SUAS ANGÚSTIAS, SEUS FANTASMAS, SUAS FRUSTAÇÕES.
E além do que nem todo Blues trata em seus "Textos" apenas de sofrimento...aliás vejo o Blues TRANSFORMADO EM MÚSICA , como um veículo QUE JÁ TRANSFORMOU MUITA DOR EM "VOLTA POR CIMA"...CATARSE...MEIO DE REVERTER O ADVERSO...
NÃO ACHO POR EXEMPLO, QUE UM NOME COMO JOE BONAMASSA QUE DESDE OS 12 ANOS MAIS OU MENOS, JÁ ENCANTAVA mestres como o B.B.King...não vejo que o aparato de mídia em sua volta o prejudique ou o VENDA POR AQUILO QUE ELE NÃO É...
NÃO IMAGINO UMA NEGATIVA DO ROBERT JOHNSON, SE LHE OFERECESSEM UM ESTÚDIO COM AR REFRIGERADO OU UMA MASTERIZAÇÃO MODERNA PARA O SEU GRANDIOSO BLUES NÃO ACHA?
ALIÁS, SE UM MÚSICO NO BRASIL QUE SE PROPÕE A TOCAR BLUES NA NOITE... ESTE CARA NÃO SE ENCAIXARIA MUITO NO PERFIL DE QUEM TÁ OBJETIVANDO VIRAR MILIONÁRIO OU VIRAR ESPETÁCULO DE MÍDIA NÉ?

PS: Olha Chico, assisti um vídeo da sua banda...muito legal o som hein!
O slide tá preciso...bem moderno!!!
E voces estão também na COLETÂNEA DO SITE DO BARATA NÉ?
Tô com uma música lá...MALENA TELE-TEXAS.
Parabéns aí!!!

Chico disse...

Caríssimos,

Eu não quis dizer que quem tem uma Gibson é menos bluesman do que quem tem uma Tonante, longe de mim parecer um "panfletário anti-capitalismo"...

Zanata, tudo que você falou eu concordo, talvez eu tenha um sentimento demais purista, ou me apeguei justamente a isso para não me frustrar caso eu não obtenha status e reconhecimento. Quando eu estou tocando um blues por exemplo num buteco e no fim da noite o dono desse buteco quer me pagar metade do cachê porque "eu não levei minha galera" eu penso "porque estou negociando o que eu tenho de mais precioso?"...

Eu aliás admiro aqueles que após o dinheiro e a fama ainda conseguiram preservar seus espíritos no blues.
E todo este site, que só conheci graças à coletânea do Barata, só vem enriquecer a alma, afinal, em nenhum lugar eu posso expor minha opinião como eu expus...

Um abraço a todos! Desde já vou me tornar um visitante freqüente e espero contribuir também!

Edu Soliani disse...

Já está contribuindo, Chico. Obrigado!
Em tempo: Também ví os vídeos e estão
ótimos. Vamos em frente, o blog é de todos, especialmente de quem tem Alma Blues...Valeu!!!!

Zanata disse...

É por aí então Chico!
E no tocante a questão de dono de bar não pagar o combinado ou merecido no final da noite...olha...não sei se serve de consolo...rsss..., mas depois que comecei com o trabalho de Blues na década de 90 e só retomei agora em 2002, eu fiz muito show de MPB em barzinhos e tal...e pelo menos por experiência própria e através de relatos de alguns amigos, o tratamente e desrespeito com a gente era bem maior por parte dos donos e clientes dessas casas .
Apesar de ter conseguido mais shows e "oportunidades" tocando o Pop e a MPB, os shows de Blues em geral , são em lugares mais organizados, melhores equipados e em boa parte dos casos com um cachê mínimo para a banda...SÓ QUE POR ISSO TUDO..rss..SÃO MAIS RAROS TAMBÉM!
É isso aí...espaços como este do BLUES COM Z, seja o Blog ou o programa na zeroradio, vão permitindo que a gente pense e principalmente FAÇA UMA REVISÃO DO QUE ESTAMOS FAZENDO OU NÃO pelo som que curtimos, independentemente das nossas expectativas presentes e futuras.
Abração Blues aí pra ti Chico e daqui vou ficar ligado na entrevista do nosso irmão BARATA ,HOJE AS 21 HORAS NO BLUES COM Z.