Agora o Blues com Z é 100% Blues Brasil.
Essa é nossa mais nova iniciativa para divulgar e incentivar o gênero no país.
De Norte a Sul do Brasil o Blues é praticado e estamos abrindo espaço para todo brasuca que queira expressar seu feeling Blues.
Continuamos com os bate-papos. Toda semana um nome ou uma banda nacional para nos contar como é fazer Blues por aqui.
"....O velho Blues não tem formato, nem receira, nem religião,a cor da pele não se mete nisso..."




Seja bem-vindo, o blues vai rolar! E como dizia o mestre Muddy Waters, "pedras que rolam não criam limo".

13 de dezembro de 2007

Entrevista com ROBSON FERNANDES


O Blues com Z da próxima segunda (17/12), vai bater um papo com ROBSON FERNANDES, gaitista paulistano considerado um dos mais originais musicos deste instrumento da atualidade no Brasil.
O pioneiro do Blues nacional, André Cristovam declarou: "Robson Fernandes é um virtuose. Um grande músico, antes de ser um grande gaitista. Sua técnica é assustadora".
Teve o repertório de seu primeiro CD, o Sampa Blues, parabenizado por CHARLIE MUSSELWHITE um dos maiores gaitistas do mundo, integrante da velha guarda de Chicago.
Precisa mais?

Blues com Z - Sua formação musical.
Robson -Toco gaita há + ou- 15 anos, toquei 10 meses sem professor,
depois fiz uns 4 meses de aula com Flávio Vajman no Sesc Pompéia,
nesse curso com Vajman aprendi as técnicas da gaita diatônica,
a partir daí passei a ter aula de Improviso e Harmonia com guitarristas
de jazz e a estudar diatônica e gaita Cromática sozinho.
Aldo Landi e Lupa Santiago foram meus professores mais importantes, tb
fiz algumas aulas de improviso com trombonista Bocato, fiz um
curso de leitura musical, mas como quase não uso, não tenho prática
pra leitura, acabei direcionando meu estudo para o Improviso.
Blues com Z - Como surgiu a gaita?
Robson - Escutava um programa de Blues numa rádio aqui em Sampa, depois
que chegava da escola, passei a gravar alguns programas e comecei
a me interessar pela sonoridade da gaita no Blues, achei aquele
som fascinante, aí na minha escola encontrei um cara com uma gaita
na mão, perguntei a ele onde tinha comprado, no outro dia ja estava
soprando uma tb, cheguei em casa e tentei reproduzir o que tinha
gravado na fita, nao consegui é obvio, aí abri a gaita e comecei
a envergar as palhetas, achei que elas estavam muito duras, na
realidade o que queria produzir era o Bend, técnica usada na gaita
diatônica, aí quebrei minha primeira gaita no dedo, hehehehehehe
no outro dia fui lá e comprei outra e vi que o problema era comigo,
nessa época tinha 16 anos.
Blues com Z - Por que o blues?
Robson - Sempre escutei Black Music devido a minha familia, meu avô era
negro e minha avó Portuguesa, meu pai puxou pro meu avô,
pra completar minhas tias se casaram com negros,
nasci do lado de uma escola de samba, então, ouviamos Samba rock,
Funk e samba é logico o tempo inteiro.
Fui morar no Nordeste depois que minha mãe se separou do meu pai,
tinha 10 anos, em teresina, lá conheci o Rock&Roll e o Reggae,
com 15 anos volto pra Sao Paulo e o pessoal que fiz amizade era a
galera do Reggae, rock e blues, daí comecei a ouvir o programa de
rádio e me apaixonei pelo Blues de cara.
Blues com Z - Quais suas influências?
Robson - Tenho influencias de vários gaitistas, mais os principais são
Sonny Boy II, Little Walter e Walter Horton.
Mais gosto de muita coisa diferente do blues como bossa nova,
jazz, chorinho, erudito, funk.
Gosto muito de John Coltrane, Tom Jobim, Villa-Lobos, Debussy,
escuto bastante William Clarke, Rod Piazza e Kim Wilson e tudo
o que reconheço como bom, sem preconceito.
Blues com Z - Suas músicas favoritas.
Robson - Essas são varias tb, "Wise One" Coltrane,
"99" Sonny Boy II, "Real Gone Lover" Smiley Lewis
"My One and Only Love" Versão Hartmam e Coltrane
essas saõ as que Eu consegui lembrar, hehehehe
sei lá, tem muita coisa.
Blues com Z - Fale sobre a Sansara Blues Band.
Robson - Sansara foi minha primeira banda, uma escola maravilhosa,
meu primeiro show foi no Mr. Blues, a banda precisava de
um gaitista e resolveram me chamar, depois comecei a tocar
na Banda do guitarrista Argentino Danny Vincent onde me
profissionalizei.
Blues com Z - Seu primeiro cd “Sampa Blues”
Robson - Esse disco foi muito bom na minha vida, vários convidados,
em principio não acreditava muito nele, depois as pessoas
foram me falando que ele era um disco legal, algo novo,
primeiro cd de gaita blues instrumental no Brasil, vendeu bem
pra karamba e vende até hoje, ele é meio misturado, vários estilos,
gaita e piano, gaita e violão, gaita e banda de Jazz, foi todo
gravado ao vivo e conta com participação de feras do Blues nacional.
Blues com Z - Fale sobre sua relação com os músicos nacionais e internacionais.
Robson - Com os músicos nacionais é bem legal, respeito todo mundo, independente
de estilo, cada um na sua onda, graças a Deus tenho conquistado meu espaço.
Ainda não tive a oportunidade de travar uma amizade mais profunda com músicos
internacionais, mais recebi vários comentários positivos de
gaitistas do mundo inteiro.
Blues com Z - Como vc vê o blues no Brasil e no exterior
Robson - Acredito que tem bastante espaço para Blues apesar de nao ser uma
música Pop que toca nas rádios, vc pode tocar Blues praticamente
no mundo inteiro e isso é muito bom, acho tb que em todo lugar
é dificil,mas com um trabalho de qualidade uma hora as pessoas vão perceber
e começam a te chamar pra tocar.
Blues com Z - O mercado do Blues no Brasil.
Robson - É um mercado restrito, poucas casas especializadas, poucos festivais,
mais ainda assim tem espaço, aqui em São Paulo tb tem várias unidades do
Sesc que tocam Blues, isso ajuda muito, em 2007 graças a Deus consegui
tocar em vários estados do Brasil, nao posso reclamar.
Blues com Z - Seu novo cd “Gumbo Blues”. Por que este nome?
Robson - Esse Cd é bem diferente do primeiro, acredito que seja mais maduro tb,
outros tipos de levada e o timbre da gaita está bem melhor, contei com
ajuda do Chico Blues que fez a produção e as Banda Prado Blues Band
e o Blue Jeans. Gumbo é um prato da cozinha negra americana, bem apimentado
e com vários ingredientes, resolvi fazer essa analogia.
Ele esta sendo destribuido nos USA e na Europa por um selo californiano,
com o Gumbo tb consegui participar do Programa do Jô e do Ronnie Von,
isso me abriu várias portas.
Blues com Z - Como vc se vê cantando?
Robson - Canto a praticamente a 7 anos, fiz aula de canto com vários professores,
o fato de tocar gaita me ajudou na afinação, hoje em dia tenho mais
segurança na impostaçao da voz e na pronuncia do inglês, no começo era mais
complicado. Cantar pra mim esta relacionado a coragem e confiança,
cada um tem sua voz, vc pode gostar de um timbre de um pessoa ou não,
isso é questao de gosto, eu adoro minha voz e o jeito que canto.
Blues com Z - Fale sobre a nova geração de gaitistas brasileiros.
Robson - Tem muita gente tocando bem pra karamba e vejo que a galera esta bastante
antenada, com bastante informação, isso é muito bom para o instrumento,
além disso cada um no seu estilo, isso fortifica o instrumento no brasil,
gosto muito de Otavio Castro que cromatiza a diatônica e toca
Jazz, assim como Carlos May e Ale Ravanelo que tocam Blues,
Leandro Ferrari, Daniel Granado, Uirá Cabral, Luis Rocha, tem muito
cara mandando bem, graças a Deus.
Blues com Z - Projetos atuais e futuros.
Robson - Bom, penso em gravar um novo Cd e tb um DVD e como falei outro dia,
fazer o maior numero de show e divulgar minha musica no mundo inteiro.
Quem quiser conhecer um pouco mais do meu trabalho ou comprar meus
Cds é só acessar: www.robsonfernandes.com
Aproveito para agradecer a Edu Soliani e Johnny Adriani pela
oportunidade de mostrar meu trabalho aqui no Blues com Z,
parabéns pelo projeto e muito sucesso para nós todos.
Grande abraço do amigo RF.






Um comentário:

Zanata disse...

Será que irá rolar o tema que é duca..."I CANT HIDE THE TRUTH" ??

Uma sacada :

http://www.myspace.com/rfbluesband