Agora o Blues com Z é 100% Blues Brasil.
Essa é nossa mais nova iniciativa para divulgar e incentivar o gênero no país.
De Norte a Sul do Brasil o Blues é praticado e estamos abrindo espaço para todo brasuca que queira expressar seu feeling Blues.
Continuamos com os bate-papos. Toda semana um nome ou uma banda nacional para nos contar como é fazer Blues por aqui.
"....O velho Blues não tem formato, nem receira, nem religião,a cor da pele não se mete nisso..."




Seja bem-vindo, o blues vai rolar! E como dizia o mestre Muddy Waters, "pedras que rolam não criam limo".

28 de fevereiro de 2008

Atração 03/03/2008


A próxima edição do Blues com Z, 03/03, inédita, vai destacar o guitarrista do Paraná, DÉCIO CAETANO, uma das melhores revelações dos últimos anos do Blues feito no Brasil.
DÉCIO, estará batendo um papo informal conosco no programa e participará do Chat da Zero, em tempo real, com os Zeronautas.
Um pouco da trajetória desse novo talento você pode ler, abaixo, em nossa entrevista pontual.

Blues com Z -Sua formação musical.
Décio
-Comecei a brincar com o violão aos 12 anos de idade,mas só tive uma guitarra aos 19,e assim iniciei os meus estudos. Estudei harmonia e improvisação, com Marcus Rampazzo,e Aminadabe J. Santos.

Blues com Z -Goioerê/PR e o delta do Mississipi. Conte-nos sobre essa analogia.
Décio
– Goioerê, durante muito tempo, foi a capital do algodão no Brasil,eu vi muitas pessoas inclusive meus tios colhendo algodão,as pessoas simples cantando cantigas do nordeste,pessoas que amavam a vida,que amavam somente o que tinham,sua enxada,sua mulher,sua família,impressionante,mas elas amavam seu trabalho. Não morei em Goioerê por muito tempo,pois meus pais se mudaram de lá quando eu tinha 3 anos. Meu pai e natural de São Paulo,e trabalhava em uma multinacional,e ficou por um tempo em Goioerê, mas todos os finais de ano, durante uns 12 anos, ia visitar meus avós,e sempre via as mesmas imagens,caminhões lotados de pessoas indo trabalhar no campo, pessoas felizes com o que viviam ..difícil acreditar nisso,mas elas eram muito felizes por ganharem 6 cruzeiros por dia, meu pai não entendia muito, eu era um moleque, mas tenho essas lembranças da minha cidade natal. Não era Blues, nao era melancolia, mas havia muita música, e por incrível que pareça, os jovens e adolescentes, adoravam Led Zepellin, ACDC ,entre outras coisas,cada vinil comprado,era um tesouro,e existian muitas,mais muitas garotas belas,das quais já sai corrido por diversas vezes de lá,pois a galera era muito ciumenta c as meninas de lá....rssss, isso era a parte blues.
Blues com Z - Suas maiores influencias e seus Blues favoritos.

Décio - T-Bone Walker, Freddie King, BB King, Buddy Guy, Muddy Waters, Son House, Robert Johnsom, mas a principal, creio eu, é Albert Collins. Hoje escuto muita coisa, muito jazz e blues, e tenho minhas preferências atuais como: Litlle Charlie and Night Cats, Kid Ramos..... humm, são tantos que não saberia enumerá-los.... heehehehh

Blues com Z- A White Boots e Friends of Blues (3 discos).
Décio
- White Boots, foi a primeira banda em qual eu toquei . Era um misto de blues c rock and roll. Estavamos indo bem até que o baterista e vocalista decidiu se mudar para Chicago Daí simplesmente a banda se dissolveu, gravamos apenas um demo do qual todas as vezes que ouço fico muito contente, pois ali dava para perceber que todos nós tinhamos algo com a música,era muito musical,nada absurdo,mas musical e genuíno, friends of blues....foi a primeira banda de blues que toquei, com Mano no vocal e bass,e Carlinhos na bateria, desde a primeira vez que ouvi os caras pensei, pô, tenho de tocar c eles, eu não agüentava mais tocar rock and roll,queria só tocar blues...rssss...dai a nossa parceria começou em 1998, foi um casamento perfeito,fluía muito bem, os shows eram muito bons,tocamos em vários lugares do circuito do sul, era alucinante e fomos conquistando nosso lugar, mas como tudo que é bom sempre acaba...rsss , Mano (o vocal e bass)se mudou para Coimbra, Portugal, para terminar sua faculdade,e eu me vi tendo que trabalhar de alguma maneira,comecei a tocar com a Paula Veloso, grande cantora e interprete de mpb, e tocar musica brasileira,conheci umas figuras muito gente fina,como,Gilberto Gil, João Bosco, e todos sempre falavam de uma maneira muito respeitosa do Blues, mas não conseguia mais trilhar aquele caminho,todos os meus improvisos nas músicas eram de Blues...heeheheh, eu queria tocar blues,decidi,começar meu projeto,isso já tem 5 anos, comecei a cantar do nada, escutando os cds e estudando ouvindo BB King, Freddie King, foi quando passei por umas paradas bem pesadas em minha vida,e decidi ficar mais quieto. Comecei a freqüentar uma igreja Batista a orar todos os dias,e comecei a compor,músicas para DEUS, só que em blues, já tinha tocado com o Rev Womack Junior de Atlanta,e já tinha descoberto o blues gospel, e assim posso te dizer que gravei meu primeiro álbum de blues gospel, que todas as vezes que eu escuto,fico admirado com a minha coragem, porque ninguém entendeu, muita gente da igreja,achava que Blues era coisa do diabo e era uma coisa muito mais,muito doida,as vezes eu ia tocar em um congresso de igreja com muitas pessoas,e alguns gritavam glória a DEUSSSS,A E O RESTO DA MULTIDÃO EM SILENCIO,RSSSSSSS,MAS EU CANTAVA COM MUITA CONVICÇÃO, E MUITA DEVOÇÃO. Um ano depois quis gravar outro disco e lancei o álbum “The Blues In The Rivers Of God. Gravei todo em Delta Blues, tipo voz ,violão ,slide e o pé de marca tempo. Muita gente curtiu, muita gente mesmo,até os não cristãos...heeheheh, só que eu precisava trilhar o meu caminho,estava dando aulas para a banda da igreja já fazia mais ou menos 1 ano e não recebia um tostão e tinha muitas dificuldades com grana,pois a igreja ficava no fim do mundo e eu tocando na noite, então, estava me dedicando só a igreja e aos meus cachorros ,eu tinha um canil, trabalhava com vendas de filhotes, aí chega um dia, o padre da igreja me fala, que DEUS tinha atendido as suas orações e enviado alguém para trabalhar em definitivo com a igreja na área da música.Fiquei muito puto, pois, por causa do meu trabalho tinha conseguido ajudar musicalmente muita gente,e o melhor unir toda aquela galera,um mais doido que o outro...hauuhauah todos se achavam BB King cantando,e todos se achavam Johnny Winter tocando,era difícilllllll... heeheheheh,mas no final,eles viram que precisavam de uma orientação musical e fui bem vindo por eles,mas para diretores da igreja eu era um tipo de cara revolucionário demais...rss, mas, naquela noite de segunda feira,ele me disse assim: "hoje essa jovem aqui assumira o posto de líder da música,vamos pagar um sálario de x..."(quantia muito boa,de dinheiro)me senti envergonhado e perdido,e ele ainda me falou: “irmao Décio, espero que você não fique triste, é para nosso bem”...rsss. Naquele instante peguei minha vespa, sai a 100 p hora até um estúdio e no caminho eu disse: DEUS,DEUS ME AJUDE A CHEGAR AONDE EU QUERO CHEGAR,ME ILUMINE,ME AJUDE,EU PRECISO DO SENHOR),cheguei ao estúdio e fui falar com o Lobão (dono do estúdio), aí o cara me recebeu bem e eu disse a ele: bicho, não tenho um puto, mas preciso cuidar da minha vida,e fazer o que amo, sei que eu vou chegar a algum lugar, vc pode me gravar de graça?...heeheh Aí, ele me olhou e falou de cara: “beleza,vc tem uma semana para gravar.....yeahhhhhh, assim gravei o meu 3o disco “Come Back To My Arms e, como estava no interior e as coisas aqui são tudo independente, terminei de gravar,fui numa empresa que prensava cds, e pedi a eles me prensaram apenas 500 copias. Arrumei minhas malas termina meu noivado,vendi tudo o que tinha e disse tchau,e agora para onde eu vou??? Bom, pensei primeiro, Curitiba depois Sampa, e fui para Curitiba. Comecei a tocar blues no primeiro dia em que cheguei na cidade, todos foram bastante receptivos e calorosos comigo. As rádios tocavam minhas musicas e tocam até hoje. Programas de TV rolaram logo após e comecei a ter novas inspirações e gravei meu 4o álbum, o I Can’t Stop!, pela Lethal Level Records, que, graças a DEUS está sendo um sucesso no Brasil e fora do Brasil, e através da ajuda do meu bom DEUS,as portas vem se abrindo cada vez mais,e tenho feito muitos bons amigos pelo Brasil e pelo mundo.


Blues com Z- Fale sobre o Blues feito no Brasil.Como vc vê o cenário atual?
Décio
-Acredito que o Blues nacional esta ganhando força e corpo, temos artistas muito bons por aqui,como Flávio Guimarães, Nuno Mindelis, André Cristovam, Igor Prado, Celso Salim, Lancaster, Robson Fernands, Rodrigo Nézio que para mim foi uma grande revelaçao, Gustavo Andrade da Hot Spot,entre outros como Solon Fishbone,etc. Creio que o Blues no Brasil, a cada dia que passa está sendo feito com muito respeito aos grandes mestres,e com muita expressão e só vc ouvir discos desses colegas citados aí acima para ver que está se tornando gigante como nosso país. A estrada ainda e muito longa, mas os nossos talentos,estão a cada dia dando o melhor de si,e abrindo caminhos onde nunca foram antes conquistados.

Blues com Z - Suas participações nos Festivais de Blues pelo Brasil.
Décio
- Tive participação em vários festivais de Blues pelo Brasil e sempre vem sendo muito bom. O primeiro, fechei o Festival Banho de Blues de Curitiba; depois o Jazz Festival; No Jockers Blues Festival, fiz o encerramento. Participei também do Revival Blues Festival, Festival de Música de Curitiba, Ilha Comprida Blues Festival,e tem mais coisa para acontecer por aí, coisas muitos boas...eheheh. Olha,o público sempre é muito carinhoso com a gente e sempre saem shows espetaculares com muita vibração na galera , isso é que faz a nossa alegria.

Blues com Z- Suas composições e o que vc acha do blues autoral em português.
Décio
–Bom, minhas composições são feitas com base de algumas experiências das quais eu passei em minha vida como os amores perdidos etc, e sonhos dos quais eu tenho em minha vida. O Blues em português é uma coisa que não soa muito bem para mim, mas vejo pessoas que conseguem compor e se dar muito bem,como o Celso Blues Boy e o Zanata, mas eu tenho muito receio, pelo menos para eu gravar uma cancão. Tinha até feito um Blues em português para minha ex, mas agora nem sei se gravo.... de boa.........heeheheh

Blues com Z - Fale sobre sua experiência internacional.
Décio
– Pôxa, tocar na Argentina foi muito bom. Conhecer pessoas muito boas como Gabriel Gratzer, Mariano Cabereira, Pablo Torrente, Danny Wood Sipos, Vanessa Haberck, entre outras pessoas; a atmosfera dos shows foi maravilhosa, as pessoas amam o Blues por lá, mas do que nós os brasileiros. Ouvem com muita devoção e foi muito bom o tempo em que eu estive lá ,muito produtivo;os cds venderam rapidamente,o carinho do público era sensacional, agora em abril estarei de volta à Argentina com 3 shows em Buenos Aires,e logo farei também na Bolivia,e estamos agendando Chile.

Blues com Z -Fale sobre o I Can´t Stop e sobre os convidados que participaram do disco.
Décio
- I Can’t Stop! tem tudo a ver comigo, pois é o que sempre quis dizer à minha ex noiva e as pessoas da igreja que me diziam: “vc tem de parar de tocar” e eu dizia não posso!!! Minha ex noiva queria que eu fosse só dela e da igreja, eu não podia mais viver assim,e mesmo acontecia com os irmãos da igreja. Na real, sempre fui e serei muito feliz ao lado de DEUS , que sempre me abençoou, e bendito seja ele,mas não quero deixar meu trabalho ,e trocar meu grande amor pela música por causa de pessoas isso não,e esse disco foi simplesmente uma resposta que estava na garganta há tempos... ,eheheheh.... Os músicos foram da primeira formação da Décio Caetano Blues Band:
Graciliano Zamborin – bateria; Rodrigo Canales – bass; Marcos Aurélio – trumpet; Israel – sax; Raule Alves – trombone e Edu Mella - guitar base.
Com o tempo foram se alterando, a maioria deles tocavam em todas as bandas de Curitiba e ficava difícil de fechar uma agenda com eles. Hoje tenho meu trio que é tudo o que sempre quis ,somos uma família, irmãos tocamos juntos sempre, e sempre crescendo juntos. Os convidados deste cd sao pessoas das quais eu respeito muito como Andre Cristovam, que e a porta de entrada para Blues no Brasil. Ele me influenciou desde muito cedo,sempre ouvia suas canções quando adolescente e pensava: nosssssa como esse cara toca slide,e certo dia conheci essa grande pessoa que é o André e desenvolvemos uma boa amizade André foi quem me indicou ao Marcus Rampazzo para ser meu professor de guitar. Também me ensinou como “ouvir blues” e, claro, o convidei à participar de uma faixa do cd. Ele veio de pronto e foi muito generoso comigo. Salve André!!!! Outra pessoa que fiz uma baita amizade e convidei a participar do cd foi o pianista Adriano Grineberg, grande pessoa, grande músico, grande artista. Adriano é mais do que um genial músico, é um grande irmão, uma grande pessoa,que sempre está junto com a gente,tocamos muitas vezes juntos e sempre com aquela atmosfera vibrante. Sou grato por todos os que gravaram comigo,e me ajudaram a realizar esse projeto. Sou grato a DEUS por me dar forças e me agraciar a cada dia com um pouco mais de talento,sou grato a vcs ,por gostarem da minha musica,paz a todos!!!!

Blues com Z - Novos projetos e apresentações.
Décio
- Tenho o projeto do novo cd que está a caminho, provavelmente esse ano devo terminá-lo,e na seqüência quero organizar uma tour de lançamento do 5º cd. Tenho shows pelo Brasil esse ano: do RS ate Goiás,e espero tocar na sua cidade, caro leitor deste blog, seja aonde for.
Deixo aqui meu grande braço a vc Edu, para o Johnny e a todos os amigos do Blues com Z.
Muito Blues e muita paz!!!

Nenhum comentário: